Os mais de 30 mil acessos ao www.reformaeconstrucaodacasa.blogspot.com maximizam o foco na excelência pela informação jornalística de qualidade. Ao optarmos pelo segmento editorial assumimos compromissos como ferramenta imprescindível no empreendedorismo do setor. Dar suporte através de uma comunicação precisa, verídica e direta é responsabilidade e metas desta publicação online. Além dos significativos acessos, opiniões, sugestões ou críticas serão bem-vindas no aperfeiçoamento e consolidação dos objetivos proposto. Sua participação vai estampar a página desta revista como forma de reconhecimento e admiração pelo seu direito de expressão. Comentários através do reformaeconstrucaodacasa@gmail.com

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Iluminação: setor cresceu 4% em 2013.






Otimista em relação a 2014, o presidente da Abilux, Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, acredita que, embora tudo indique que a economia brasileira irá enfrentar mais um ano difícil, o setor de iluminação irá manter-se no positivo em função dos negócios que serão gerados durante a Expolux e pelos eventos esportivos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas 



Com um faturamento da ordem de R$ 4,0 bilhões, o setor de iluminação fechou 2013 com um crescimento de aproximadamente 4% nas vendas quando comparado a 2012 (R$ 3,8 bilhões).  Os dados são da Abilux (Associação Brasileira da Indústria de Iluminação), que atribuiu o desempenho positivo à oferta de produtos mais eficientes (fontes de luz e luminárias) e à evolução do mercado com a chegada de novas tecnologias. 

Para Carlos Eduardo Uchôa Fagundes, presidente da Entidade, o desempenho do mercado de iluminação foi relativamente bom em 2013. De acordo com ele, o setor de luminárias, por exemplo, esteve aquecido em função das novas obras e das substituições de instalações por outras mais eficientes. O que também refletiu nas boas vendas de luminárias foi o fato de que durante o ano esses produtos tiveram a alíquota do IPI reduzida (7,5% de fevereiro a junho; 10% de julho a setembro e 12% de outubro a dezembro), o que acabou beneficiando aos consumidores. Já com os controladores houve um arrefecimento dos produtos importados. Isso, por conta da maior alíquota do Imposto de Importação (até o final de setembro).

Uchôa Fagundes lembra que de uma maneira geral, todos os segmentos do setor foram parcialmente penalizados pelo aumento dos custos com mão de obra, insumos importados pela variação cambial, pela falta de financiamento para os projetos de eficiência energética, pela burocracia gerada pelas regras nas esferas municipal, estadual e federal e pela guerra fiscal entre estados.   

O ano de 2014 está sendo visto pelos empresários do setor de iluminação como fora dos padrões, seja pela entrega de obras no primeiro semestre, pela realização da Expolux, que tradicionalmente impacta favoravelmente nos negócios da indústria, pelo evento da Copa ou ainda pelas atividades que serão geradas pelas eleições para presidente e governadores. As várias políticas de governo bem como a maturação de projetos municipais, por sua vez, darão um lastro ao longo do ano. Os fatores limitantes poderão estar atrelados à variação cambial e a disponibilidade de recursos financeiros. O resultado geral esperado é de que o crescimento se mantenha nos patamares de 4% quando comparado a 2013.

Dentre as frentes de ações planejadas pela Abilux para 2014 estão o estabelecimento de uma Política Nacional para o setor de Iluminação que apoie o desenvolvimento e a fabricação no território nacional de produtos com tecnologia LED (cabe ressaltar que algumas empresas já iniciaram no País atividades que envolvem a fabricação de produtos com LED, mesmo sem contar com o apoio de uma política nacional para este fim) e o trabalho em conjunto com entidades afins na busca de melhorias para o desenvolvimento de projetos de produtos que se destaquem pela tecnologia e design com vistas ao incremento das exportações do setor e a qualificação dos produtos por meio de regulamentações do Inmetro e normas ABNT. Fonte: Ana Maria Senatore/Assessoria de Comunicação. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário