Os mais de 30 mil acessos ao www.reformaeconstrucaodacasa.blogspot.com maximizam o foco na excelência pela informação jornalística de qualidade. Ao optarmos pelo segmento editorial assumimos compromissos como ferramenta imprescindível no empreendedorismo do setor. Dar suporte através de uma comunicação precisa, verídica e direta é responsabilidade e metas desta publicação online. Além dos significativos acessos, opiniões, sugestões ou críticas serão bem-vindas no aperfeiçoamento e consolidação dos objetivos proposto. Sua participação vai estampar a página desta revista como forma de reconhecimento e admiração pelo seu direito de expressão. Comentários através do reformaeconstrucaodacasa@gmail.com

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Emprego na construção cresceu no primeiro semestre de 2013.

O nível de emprego na construção civil brasileira cresceu 3,43% no primeiro semestre, com a abertura de 115,7 mil vagas. O ritmo indica desaceleração em relação ao primeiro semestre do ano passado, quando o setor contratou 193,4 mil pessoas (+6,09%). A pesquisa foi elaborada pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) em parceria com a FGV (Fundação Getulio Vargas). 

Em junho, o indicador subiu 0,09% em relação a maio, com a contratação de 3,1 mil trabalhadores. Já em maio foram registradas 1.751 demissões (-0,05%). De acordo com o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, “os dados dos últimos dois meses revelam que o indicador de emprego praticamente estabilizou”.

No acumulado dos últimos 12 meses terminados em junho a alta ficou em 0,52%, o que representa a contratação de 18 mil pessoas. O resultado é bem inferior ao registrado na comparação de 12 meses terminados em junho de 2012, quando o setor acumulava 207,9 mil contratações (+6,58%).

Com o resultado de junho, o setor empregava 3,489 milhões de trabalhadores em todo país ao final do primeiro semestre. O Sudeste concentrava no mês passado 1,764 milhão de trabalhadores da construção civil; seguida pelo Nordeste (726,3 mil); Sul (492,8 mil); Centro-Oeste (288,1 mil) e Norte (217,8 mil). Confira na planilha abaixo:

Fonte: SindusconSP

Nenhum comentário:

Postar um comentário